Convenção Coletiva de Trabalho 2024 / 2026 (Sindhobar / Sechosc)

O Sindicato Patronal de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (Sindhobar), e o Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro, Restaurantes, Bares e Similares do Distrito Federal (Sechosc), celebram a presente Convenção Coletiva de Trabalho, que trata dos pagamentos, reajustes e correções salariais.

A Convenção também debateu gratificações e auxílios, gorjetas, transporte, creche, seguro de vida, jornada de trabalho, férias, entre outros acordos realizados entre os sindicatos que garantem direitos e obrigações de empregados e patrões.

Acesse aqui a Convenção Coletiva de Trabalho 2024 / 2026 e leia o documento na íntegra*

Projeto Paladar Internacional reúne chefs latino-americanos e caribenhos no Pátio Brasil

O fim de semana foi marcado pela realização da primeira edição do festival Paladar Internacional, que aconteceu no Shopping Pátio Brasil e aproximou a cultura de países latino-americanos e caribenhos ao público da capital federal. O evento contou com aulas-show de pratos típicos, uma feira cultural com estandes dos países participantes, além de networking com personalidades da gastronomia da cidade.

O Paladar Internacional é fruto de uma parceria entre a Fecomércio-DF, o Senac-DF, a Secretaria de Relações Internacionais, o Pátio Brasil Shopping e 11 embaixadas, com apoio do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar).

Na sexta-feira (8), o público pôde conhecer os pratos típicos de Cuba, Peru, República Dominicana, Barbados e El Salvador. No domingo foi a vez do Chile, Bolívia, Paraguai, Equador, Argentina e México.

O presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar), Jael Antônio da Silva, disse que é muito importante ter o Sistema Fecomércio-DF, Sesc e Senac envolvidos em projetos para o crescimento do setor gastronômico de Brasília, realizando ações e oferecendo cursos e capacitações para o setor. Segundo Jael, o objetivo é transformar Brasília no terceiro mais importante polo gastronômico do Brasil.

“Nós temos o objetivo, não só do Sindhobar, mas de todo o setor turístico, que é transformar Brasília no terceiro polo gastronômico do Brasil. Nós já estamos trabalhando nesse sentido. Ainda temos muito trabalho pela frente, por isso, é importante contar com o Sistema Fecomércio-DF, Sesc e Senac. Nós temos isso como uma meta que vamos alcançar. E essas pessoas, que estão sendo formadas, irão contribuir para que isso ocorra e, daqui para frente, teremos mais turmas, mais técnicos especializados e é isso que a nossa capital está precisando”, afirmou o presidente do Sindhobar, Jael Antônio da Silva.

O presidente do Sistema Fecomércio-DF, José Aparecido Freire, ressaltou que a parceria é uma ótima oportunidade para difundir a um público diversificado a cultura e a gastronomia desses países, além de aproximá-los ao Sistema Fecomércio, empresários e governo local. “A iniciativa permite um intercâmbio entre o setor produtivo e as representações dos países, fomentando cursos de capacitação de profissionais da gastronomia”.

O diretor regional do Senac-DF, Vitor Corrêa, destacou que a instituição incluiu no portfólio de 2024 os cursos de Cozinha Latino-Americana, com 60 horas, e Cozinha Caribenha, com 40 horas. “Em 18 de março, o Senac-DF iniciará a primeira turma do curso Cozinha Latino-americana e em 22 de abril começam as aulas do curso Cozinha Caribenha. Durante o evento, os interessados poderão fazer matrícula nesses cursos pessoalmente. Teremos um espaço exclusivo para isso” afirma.

A conselheira da embaixada da República Dominicana, Rosanna Polanco, salientou que o evento foi uma forma das pessoas conhecerem a cultura e até mesmo sentirem a familiaridade dos povos latino-americanos. “É uma oportunidade para o nosso país fazer uma ponte cultural e gastronômica, misturando culturas. Além disso, é um momento para as pessoas conhecerem a República Dominicana, que hoje vive praticamente do turismo.”

A estudante de gastronomia Manuela Lira assistiu às aulas e experimentou os pratos típicos dos países. Ela disse que os ensinamentos serão muito importantes para o futuro profissional. “Foi bem legal a iniciativa que nos dá a oportunidade de conhecer a culinária internacional. A comida estava muito gostosa e como eles explicaram a forma de preparo vou até tentar fazer em casa”, ressalta.

Fonte: www.fecomerciodf.com.br / Fotos: Cristiano Costa – Fecomércio-DF

Sindhobar realiza encontro com empresários do setor

O Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar) realizou, nesta quarta-feira (22), uma ação com empresários do setor de restaurantes, hotelaria, bares, lanchonetes e similares, com o objetivo de levar informações sobre as ações que o Sindicato tem realizado em prol do setor.

As pessoas presentes tiveram oportunidade de ouvir um pouco sobre as ações que o Sindhobar tem com os parceiros, como a cobrança de imposto sobre a gorjeta, tributação sobre os valores retidos pelos aplicativos, ICMS – ST, que visa retirar da base de cálculo dos 2% do regime especial, os valores das vendas dos produtos sujeitos à tributação no regime de substituição tributária, também em relação ao ICMS antecipado, que visa afastar a obrigatoriedade do pagamento do ICMS exigido de forma antecipada nas aquisições de fora do DF.

Também foram debatidos temas como “Planejamento tributário e societário para empresas: riscos e oportunidades, decisão do STF sobre folgas quinzenais para mulheres, Refis e Perse”.

O presidente do Sindhobar, Jael Antônio da Silva, disse que todas as medidas tomadas pelo Sindhobar e sua diretoria afetam o bolso do empresário gerando economia e que é muito importante o apoio de todos. Ele também destacou a importância da Fecomércio e do Sistema S para o setor.

O secretário de Turismo do DF, Cristiano Araújo, que também estava presente no evento, falou sobre as ações que a pasta está fazendo para movimentar a cidade e trazer mais turistas para gerar emprego e renda para o setor.

O presidente da Fecomèrcio-DF, José Aparecido, lembrou da importância do Senac na capacitação das pessoas. “Temos vagas, mas não temos profissionais qualificados”, ressaltou.

O diretor regional do Sesc-DF, Valcides de Araújo, falou do importante trabalho que o Sesc realiza, principalmente com pessoas de baixa renda. Ele ressaltou ainda, a importância da iniciativa do Sindhobar e que apoiar eventos como esse, é apoiar a geração de emprego e o crescimento do comércio. Já o diretor regional do Senac, Victor Corrêa, deu um panorama das ações que a instituição realiza em prol da população.

Estiveram presentes, cerca de 100 pessoas entre presidentes de sindicatos, empresários, donos de restaurantes, lanchonetes, bares e hotéis, além de pessoas interessadas em conhecer o setor e os serviços oferecidos pelo Sindhobar.

Presidente do Sindhobar participa de encontro com empresários do DF

O presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar), Jael Antônio da Silva, participou nesta quinta-feira (09), do almoço-debate promovido pelo Lide Brasília, no Lago Sul.

O encontro contou com a presença do ministro Ives Gandra Martins Filho, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), que fez uma palestra com o tema “Segurança jurídica nas relações trabalhistas”. Ele fez uma análise das contradições em torno de questões fundamentais do País.

Durante sua fala, o ministro lembrou daquilo que chamou de pandemia do ativismo judiciário, questionando as regras na área trabalhista, se são claras ou não para os empresários e ressaltou que não se pode julgar de acordo com a vontade de cada um, e sim, de acordo com a Lei. “Temos que defender a legalidade e o legalismo. Defender a lei positiva perante o Judiciário. Que se cumpra a Lei, e não a vontade de cada julgador”, ressaltou o ministro Ives Gandra Martins Filho.

O presidente do Sindhobar, Jael Antônio da Silva, que também discursou durante o encontro, ressaltou a importância da palestra do ministro, que, segundo Jael, acendeu uma chama na escuridão, do ativismo do judiciário, que é responsável por trazer ainda mais insegurança jurídica para os empresários, principalmente para o segmento do setor de hospedagem e alimentação fora do lar. “A pandemia sanitária que arrasou e massacrou o setor de hotéis, restaurantes, bares e similares, vive agora a pandemia do judiciário”, afirmou Jael Antônio da Silva.

O Presidente do Lide Brasília, o empresário Paulo Octávio afirmou,durante o encontro, que um dos maiores males do Brasil é a constante mudança nas leis brasileiras, e que a iinsegurança jurídica dificulta a geração de empregos.”, disse. Para Fernando Cavalcanti, anfitrião do encontro, a palestra era um momento especial para empresários e autoridades discutirem a cidade e o País.

O encontro contou com a presença de empresários, dirigentes de entidades patronais e autoridades, como os secretários Agaciel Maia (Relações Institucionais), Cristiano Araújo (Turismo) e Itamar Feitosa (Fazenda); os deputados federais Gilvan Máximo (Republicanos-DF) e Paulo Fernando (Republicanos-DF); e a deputada distrital Paula Belmonte (Cidadania).

Com informações do site www.foconacional.com.br / Foto: www.foconacional.com.br

Lei estabelece afixação de cartazes explicando Manobra Heimlich

De acordo com a Lei 6.258, de 18 de janeiro de 2019, ficou instituída, no Distrito Federal, a obrigatoriedade de afixação, em restaurantes, lanchonetes, praças de alimentação de centros comerciais, shopping centers e estabelecimentos similares, de material publicitário de interesse do consumidor, que demonstre a aplicação da manobra da vida ou manobra de Heimlich (compressão abdominal), empregada para desobstruir rapidamente as vias respiratórias.

O engasgo é uma manifestação do organismo para expelir alimento ou objeto que toma um “caminho errado”, durante a deglutição (ato de engolir). É considerado uma emergência e, em casos graves, pode levar a pessoa à morte por asfixia ou deixá-la inconsciente por um tempo. Sendo assim, agir rapidamente evita complicações.

Diante disso, segue link para que os estabelecimentos possam baixar o cartaz (baixe aqui em PDF no formato A3) para impressão e fixação nos estabelecimentos que ainda não possuem o mesmo exposto. Para garantir a visibilidade da informação pelo consumidor, o material deve ser afixado em local visível e em número compatível com as dimensões do estabelecimento.

O descumprimento do disposto nesta Lei, sujeita os estabelecimentos comerciais a multas, previstas no artigo 57 do Código de Defesa do Consumidor, sem prejuízo de outras sanções cabíveis.

Sindhobar realiza encontro com empresários do setor

O Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar) realizou, nesta quarta-feira (29), uma ação com empresários do setor de restaurantes, hotelaria, bares, lanchonetes e similares, com o objetivo de levar informações sobre as ações que o Sindicato tem realizado em prol do setor. O encontro também serviu para comemorar os 60 anos do Sindhobar. 

As pessoas presentes tiveram oportunidade de ouvir um pouco sobre a Lei das Gorjetas, a não incidência de impostos federais sobre o percentual do iFood, a apresentação de um novo marketplace de delivery para o DF, o Lumifood, a apresentação da arquiteta Renata Cortopassi, que falou sobre arquitetura criativa e a importância de ambientes bem planejados (instagramáveis) para chamar atenção e gerar mídia orgânica nas redes sociais. Além da apresentação de serviços do Sesc e do Programa de Aprendizagem e Ações de Educação Profissional do Senac.

O presidente do Sindhobar, Jael Antônio da Silva, lembrou que o Sindhobar é a casa do empresário. “Somos hoje, um dos Sindicatos mais antigos de Brasília e da base da Fecomércio-DF. Completamos 60 anos de história. Gostaria de agradecer o presidente da Fecomércio-DF, José Aparecido, no apoio a esse evento maravilhoso”, ressaltou Jael.

Ele também destacou a importância do sistema S e a estrutura que eles oferecem para os empresários. “Uma estrutura espetacular e cursos espetaculares para capacitação e qualificação dos nossos funcionários e colaboradores”, destacou. 

O presidente da Fecomércio-DF, José Aparecido, destacou a importância do setor gastronômico no DF e a importante atuação do Sindhobar em prol do setor. “O Sindhobar é um sindicato muito atuante. O setor sofreu muito durante a pandemia e enfrentou momentos difíceis”, lembrou Aparecido. 

Ele também falou dos cursos de formação profissional oferecidos pelo sistema Fecomércio-DF, através do Sesc e do Senac, que são alinhados com a realidade do mercado e estão disponíveis para suprir as necessidades das empresas do setor que demandam, cada vez mais, profissionais qualificados.

O diretor regional do Sesc-DF, Valcides de Araújo Silva, disse durante o encontro que a instituição está à disposição dos empresários e ressaltou empenho em se aproximar do setor e ofertar os serviços do Sesc aos colaboradores. Já o diretor regional do Senac-DF, Vitor de Abreu Corrêa, explanou sobre todos os cursos oferecidos pelo Senac e destacou aqueles que mais interessam ao setor, de bares, hotéis e restaurantes, como garçom, cozinheiro, arrumadeira, entre outros.

Estiveram presentes, cerca de 150 pessoas entre presidentes de sindicatos, empresários, donos de restaurantes, lanchonetes, bares e hotéis e pessoas interessadas em conhecer o setor e os serviços oferecidos pelo Sindhobar.

Ascom Sindhobar

Presidente do Sindhobar participou na CLDF de comissão que debateu a violência contra a mulher

O presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar), Jael Antônio da Silva, participou nesta quinta-feira (23), da Comissão Geral da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), que debateu as propostas que tramitam na Casa, sobre a atuação dos estabelecimentos comerciais no enfrentamento à violência contra a mulher.

Ele lembrou de algumas iniciativas do setor, como a parceria entre Sindhobar e a Procuradora Especial da Mulher, Júlia Lucy, em 2019, em uma campanha para combater a violência contra a mulher. Na ocasião, a procuradoria ofereceu treinamento aos funcionários e colaboradores dos estabelecimentos, para que eles pudessem identificar situações de violência e de como prestar auxílio às vítimas. Os empresários disponibilizaram cartazes e informativos nos estabelecimentos para informar às mulheres de como pedir ajuda caso esteja sofrendo algum tipo de assédio ou violência.

O presidente do Sindhobar também destacou iniciativas como a do Complexo Brasil 21 e do Meliá Hotel Internacional, que no dia 17 de março implementaram um programa de prevenção e enfrentamento ao assédio sexual, moral e discriminação em seus estabelecimentos, além de outras ações do setor e do poder público no enfrentamento à violência contra a mulher.

Ele aproveitou ainda para apresentar emendas ao substitutivo, aos Projetos de Lei nº 106 e 103 de 2023, que imputam aos empresários responsabilidades de segurança policial, bem como atribuições não inerentes ao segmento, acarretando despesas extras aos empresários.

Ascom Sindhobar

Workshop e Happy Hour com Empresários

O Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar), gostaríamos de convidá-lo(a) para o Workshop e Happy Hour com Empresários.

O Workshop será realizado no dia 29 de março, às 17h, na Unidade do Senac da 903 Sul (Centro de Educação Profissional Antônio Matias).

O objeto principal do encontro é abordar assuntos, ações e projetos que contribuem diretamente para o desenvolvimento e fortalecimento do setor de hospedagem e alimentação fora do lar.

Confira a programação!

  • Tema: Gorjetas / Palestrante: Dr. Tomaz Nina
  • Tema: Não incidência de impostos federais sobre o percentual do iFood /  Palestrante: Dr Charles dickens
  • Tema: LumiFood – marketing Place / delivery / Palestrante; CEO Rodrigo Vidal
  • Tema: Arquitetura criativa /  Palestrante: Renata Cortopassi

Também serão apresentados os serviços que o Sesc oferece ao sindicalizados, além do Programa de Aprendizagem e ações de educação profissional do Senac.

Click aqui e adquira já o seu ingresso GRATUITO pelo Sympla.

Esperamos contar com a sua presença!

Informações pelo whatsapp: 61 32240222

Presidente do Sindhobar participa do programa CB Poder

     O presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar), Jael Antônio da Silva, participou do programa CB Poder do Correio Braziliense e da TV Brasília. Durante a entrevista, o presidente falou sobre vários assuntos importantes para o desenvolvimento do setor.

     Foram tratados dos projetos prioritários que tramitam na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) como o PPCUB, que é o Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília, que tem como objetivo deixar mais claras as regras de uso e ocupação do solo na Capital Federal. Além disso, explicou sobre o Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDTO), que é a principal normativa que rege a política urbana do Distrito Federal e sobre a Lei do Silêncio que, segundo Jael, já está causando desemprego no setor. “Eu acho que a rigidez da Lei do Silêncio influencia na questão da empregabilidade. Estamos há quase dez anos tentando uma revisão na Lei na CLDF. Um dos seus artigos diz que ela precisa ser revista a cada dois anos”, esclareceu Jael.

     Outros temas tratados durante a entrevista foram a revitalização do Setor Comercial Sul, informalidade no setor e sobre os puxadinhos que, segundo o presidente do Sindhobar, são quase duas mil unidades só na Asa Sul, que têm condições de serem regularizadas, pagar impostos e gerar receita para os cofres do GDF, além de trazer segurança jurídica para o empresário.

     Também não ficaram de fora da conversa o aumento no limite do Simples Nacional e o fim da cobrança de impostos sobre as gorjetas. Hoje para a empresa fazer parte do Simples Nacional ela não pode faturar mais de 3,6 milhões por ano. O Sindhobar defende que esse valor suba para R$ 4,8 milhões. “Isso não vai beneficiar apenas o setor de hotéis e restaurantes, mas todo o setor produtivo do Distrito Federal. Além disso, nós estamos trazendo, em primeira mão, que os empresários deixarão de pagar imposto sobre a gorjeta. Nós temos uma decisão, transitada em julgado, que diz que a gorjeta não entra no total da receita para efeito de pagamento de impostos”, afirmou Jael Antônio da Silva.

Acesse aqui e confira a entrevista completa no canal do Youtube do CB Poder.

 

Precisando de seguros? Confira mais uma parceria do Sindhobar

Sabia que nos últimos meses ocorreram várias mortes no DF e muitas empresas tiveram que arcar com indenizações por não possuírem apólice de seguro vigente?

A Convenção Coletiva de Trabalho SECHOSC/DF – SINDHOBAR/DF da qual a sua empresa está vinculada, prevê a contratação obrigatória do seguro de vida para todos os funcionários, independentemente da empresa ser associada ou não à entidade sindical.

Importante frisar que a Porto Seguro é a única seguradora que possui o crivo jurídico de ambos os sindicatos em suas condições gerais, especiais e particulares e atende na íntegra a CCT, sendo a opção mais segura para contratação.

Por apenas R$ 6,33 por vida, garanta a segurança para os funcionários e a tranquilidade da sua empresa!

Acesse o site: https://www.macrosegseguros.com.br/CotaçãoExpress.html

preencha as informações da sua empresa e receba em até 48 horas o seu Kit Apólice.

Os casos relacionados ao coronavírus (COVID-19) serão amparados pela cobertura securitária, observado um período de carência de 90 (noventa) dias, a partir da data de contratação.

No aguardo de seu contato, ficamos à disposição para prestar-lhes mais esclarecimentos.

MACROSEG Seguros Sindicais
Sucursal DF
Tel.: (61) 4104 4400
Cel.: (61) 98303 0310
Cel.: (61) 98303 4400

Todo Brasil.: 0800 932 0000 Ramal 0707

Q SCN QD 01 LT A LJ 55 E 47 Térreo – Ed. Number One – Asa Norte – Brasília – DF

Sindhobar faz parceria com a Smaff Volkswagen

Todos os sindicalizados que obtiverem um veículo pelo CNPJ terão seu desconto concedido pela fábrica, de acordo com o modelo do veículo, e ainda outro super desconto surpresa da Smaff sobre o valor que estiver na nota, mais um tanque de combustível, mais emplacamento, mais pelicula (insulfilme) e tapete.

Aqui na Smaff o sindicalizado do SINDHOBAR terá exclusividade na nossa loja ao comprar seu carro zero km.

Seja um associado SINDHOBAR e aproveite os benefícios de mais essa super parceria.

Contato (61) 3224-0222 / atendimento@sindhobar.com.br

Festival Mundo Gastrô é lançado em evento na embaixada de Portugal

O Sindicato Patronal de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar), em parceria com a Associação Semper Fidelis, está realizando, entre os dias 28 de outubro e 13 de novembro, a 2ª edição do Festival Mundo Gastrô. Na noite desta quinta-feira (27) aconteceu o evento de lançamento do Festival, na Embaixada de Portugal, e que desta vez celebra a gastronomia portuguesa.

Segundo o presidente do Sindhobar, Jael Antônio da Silva, essa é uma oportunidade para que os restaurantes de Brasília possam conhecer e oferecer pratos da cozinha portuguesa ao público brasiliense. “Nós criamos a marca Festival Mundo Gastrô com a ideia de trazer a gastronomia mundial aqui para o Distrito Federal. Essa edição é a conexão Portugal, e nós estamos comemorando o Bicentenário da nossa Independência, então essa é uma forma de homenagear Portugal e dar uma oportunidade para os 24 restaurantes participantes conhecerem e desenvolverem a gastronomia portuguesa”, explicou Jael.

Nesta edição, 24 restaurantes do DF vão servir em seus menus pratos da cozinha portuguesa com preços de R$ 64,00, R$ 84,00 e R$114,00. São receitas típicas que destacam, principalmente, o bacalhau e o polvo em suas variadas versões.

O Embaixador de Portugal, Luís Faro Ramos, elogiou a iniciativa e parabenizou todos os envolvidos pela ação que, segundo ele, aproxima, ainda mais, Brasil e Portugal, através da gastronomia. “Em primeiro lugar eu gostaria de dizer da nossa satisfação em receber, nesta noite, a organização desta magnífica iniciativa. O Sindhobar está de parabéns, porque se há uma coisa que une países e povos, é a gastronomia. É uma oportunidade, através de vários restaurantes, para todos poderem conhecer a gastronomia do nosso país”, afirmou.

A deputada distrital Júlia Lucy, foi uma das apoiadoras do Festival Mundo Gastrô e através de emenda parlamentar, ajudou a tornar possível a realização do festival. Ela destacou que o setor foi muito afetado pela pandemia e que o essa ação do Sindhobar é muito importante. “O setor de bares e restaurantes foi um dos primeiros a fechar e um dos últimos a voltar a funcionar, e por mais criativo que o empreendedor tenha sido, o prejuízo acumulado foi tremendo. Esse festival tem o grande mérito de lançar luz ao funcionamento das casas participantes. É importante que o povo de Brasília acompanhe e saiba quem são os participantes e prestigiem o evento, porque além do momento gostoso, quando a gente vai a um restaurante, nós mantemos os empregos” destacou a deputada Julia Lucy.

Estiveram presentes no lançamento do Festival Mundo Gastrô, a deputada Distrital, Julia Lucy; o presidente da Fecomércio-DF, José Aparecido; o secretário de Turismo do DF, William Frederico Carneiro de Almeida, além dos proprietários e chefs dos restaurantes participantes e convidados em geral.

*Sobre o Festival*

O Mundo Gastrô é um festival de conexões entre a culinária do Brasil e outros países. Uma união de sabores, saberes e turismo. Esta edição conta com o apoio da Embaixada de Portugal, Fecomércio-DF, Secretaria de Turismo/GDF, Del Maipo e Mercantil Assessoria Contábil.  

Serviço

Festival Mundo Gastrô Conexão Portugal 

Data: 28 de outubro a 13 de novembro de 2022  

Mais informações: www.festivalmundogastro.com.br @festivalmundogastro 

Assessoria de Imprensa: Solos Comunicações  

Eliane Ulhôa (61) 99976-7271  

Paula Fettermann (61) 99656-5680

Empresários poderão pedir isenção de impostos por meio do PERSE

O SINDHOBAR – SINDICATO PATRONAL DE HOTÉIS, RESTAURANTES, BARES E SIMILARES DE BRASÍLIA, representado por seu presidente, Jael Antônio da Silva, comunica a seus filiados que obteve decisão liminar (provisória) na Justiça Federal, para que as empresas possam se utilizar da alíquota zero prevista para alguns tributos elencados na Lei do PERSE (Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos).

Saiba mais no PDF em anexo:

Estabelecimentos que vendem bebidas alcoólicas têm novo horário de funcionamento

Foi publicada nesta terça-feira (19), no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), a Ordem de Serviço nº 128, da Administração Regional da Ceilândia, que discorre que todos os estabelecimentos comerciais sediados na região de Ceilândia, que comercializam bebidas alcoólicas, passarão a obedecer a um novo horário de funcionamento.

Fica estabelecido que, de domingo à quarta-feira, o horário limite para o funcionamento vai até a meia noite, e de quinta à sábado, o limite vai até às 2h, além das regras relacionadas à poluição sonora e à venda de bebidas alcoólicas na proximidade de escolas e hospitais.

Confira abaixo!

Governador sanciona nova Lei de Uso e Ocupação do Solo

O governador Ibaneis Rocha sancionou nesta quinta-feira (28), a revisão da Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos). A legislação incentiva o desenvolvimento econômico, além de fortalecer a regularização fundiária.

A Luos impacta diretamente a vida do cidadão e do setor produtivo. É o instrumento que define, entre outras determinações, onde pode haver residências, comércio e equipamentos públicos.

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, lembou que a Luos é um instrumento importante para evitar invasões e o crescimento desordenado no DF. “Talvez eu seja o único governador que sancionou duas Luos no mesmo mandato. Se não tivermos um olhar para moradias regularizadas e bairros urbanizados, vamos continuar vivendo a lógica das invasões no Distrito Federal, onde primeiro a população vai à frente, invade, e depois o governo vem atrás e regulariza. A partir dessa legislação aprovada hoje, podemos pensar em novos bairros para o DF, pensar em regularização fundiária de áreas que hoje caminham na ilegalidade”, afirmou Ibaneis.

O presidente do Sindhobar, Jael Antônio da Silva, parabenizou a equipe da Secretaria de Desenvolvimento Urbano, em especial o secretário Mateus Oliveira e a secretária-executiva, Janaína Domingos, pelo grande trabalho realizado por eles, para que a Câmara Legislativa pudesse aprovar essa Lei tão importante para o setor produtivo do Distrito Federal. “O Sindhobar, juntamente com todo o setor produtivo, foi um dos defensores da aprovação da Luos o mais rápido possível. E como não poderia ser diferente, viemos prestigiar a solenidade de sanção da Lei”, afirmou o presidente do Sindhobar.

Confira as principais alterações efetuadas na Luos

– Simplificação do texto, esclarecimentos e definições de termos e conceitos imprecisos;

– Correção de erros e imprecisões identificadas, quanto aos usos e parâmetros urbanísticos;

– Mais coerência na aplicação da legislação urbanística, propiciando maior eficácia na fiscalização da ocupação do solo;

– Adequação às normas vigentes, como o Código de Obras e a Lei de Remembramento e Desdobro;

– Reorganização de mapas e planilhas para contemplar os novos limites das regiões administrativas definidas na Lei Complementar 958, de 20 de dezembro de 2019.

Evento marca o lançamento do Festival Mundo Gastrô

Foi lançado, nesta quarta-feira (20), no mezanino da Torre de TV, o Festival Mundo Gastrô Conexão Vietnã. O evento contou com a presença de cerca de 100 convidados, entre eles, donos de restaurantes, hotéis e bares participantes do Festival, empresários do setor, patrocinadores e parceiros, além da presença do vice-governador Paco Britto, sua esposa Ana Paula Hoff e a embaixadora do Vietnâ, Pham Thi Kim Hoa.

O Festival Mundo Gastrô surge para criar conexão entre a culinária do DF e outros países, unindo sabores, turismo e uma maravilhosa experiência. Realizado pelo Sindhobar, com apoio do BRB, Senac e BAT Brasil (antiga Souza Cruz), o evento acontece de 21 de abril a 8 de maio.

Em sua 1ª edição, estão participando 17 restaurantes, que irão apresentar em seu menu, pratos típicos do Vietnã. Essa parceria com a Embaixada Vietnamita tem o objetivo de divulgar a culinária, rica em sabor, cores e aromas, do país asiático, para ser explorada pelos chefs da cidade e degustada pelos apreciadores da gastronomia.

Segundo o presidente do Sindicato Patronal de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília, Jael Antonio da Silva, o objetivo é realizar outros eventos ao longo do ano, apresentando pratos típicos de diversos países. “Esse Festival Mundo Gastrô é uma conexão. A primeira conexão de quem está viajando pelo mundo foi o Vietnã. São pratos que requerem pesquisas, conhecimento, busca e além de tudo, interesse em tentar fazer alguma coisa diferente nesses 62 anos de Brasília. Em breve, vamos buscar novas parcerias com as embaixadas e ver aquilo que tem de mais interessante na gastronomia mundial para trazer para a cidade. Eu acho que isso é um presente que o Sindhobar está oferecendo à nossa cidade, juntamente com todos os nossos apoiadores”, destacou o presidente Jael.

O Festival Mundo Gastrô vai acontecer entre os dias 21 de abril, dia em que Brasília completa 62 anos, e vai até o dia 8 de maio. O menu é composto por entrada e prato principal e terá duas faixas de preço: R$ 69,00 ou R$ 89,00, ficando a cargo de cada casa escolher aquela que melhor se adequa a seu prato.

Restaurantes participantes do Festival:
Maki San – Restaurante & Temakeria
Grande Muralha
Same Same
Sagres
Capim Dourado
Mayer Sabores do Brasil
Bierfass – Grand Bier
Universal
Fred
Downtown SENAC
Taypá
Casa Baco
Dom Francisco

Mais informações no telefone (61) 3224-0222, no e-mail contato@festivalmundogastro.com.br ou no nosso site www.festivalmundogastro.com.br

Sindhobar faz nova parceria em prol do setor

O Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do DF (Sindhobar) firmou uma parceria com a empresa de tecnologia CloudGed. A empresa realiza o planejamento de valores para a recuperação de tributos pagos em duplicidade para as empresas do Simples Nacional. O objetivo é a recuperação dos valores de PIS e Cofins relativos à tributação monofásica ou de ICMS substituto.

“O principal objetivo é verificar, se no ato do recolhimento dos impostos, já houve o pagamento do ICMS, para que o empresário não pague o imposto duas vezes. Esse caso acontece muito com empresas do ramo de bebidas – justamente as empresas abarcadas pelo Sindhobar”, explicou Lea Guerra, gestora comercial da CloudGed.

Ela ressaltou que em bares e restaurantes, na maioria das vezes, são nas bebidas que esses impostos são pagos em duplicidade, mas que a empresa realiza a baixa dos cupons fiscais, na própria Secretaria da Fazenda, através do certificado digital, onde são analisados produto a produto para ver quais necessitam fazer a restituição.

Lea lembrou que a revisão só pode ser feita relativa aos últimos cinco anos, e quanto antes os empresários pedirem essa revisão, maior a restituição. “A maioria dos bares e restaurantes pagou essa duplicidade nos impostos, principalmente, no período anterior à obrigação do XML, nos anos de 2017 e 2018. Muitas empresas conseguiram, através desse crédito que receberam, sobreviver ao período de pandemia e continuar no mercado”, afirmou.

O presidente do Sindhobar, Jael Antônio da Silva, ressaltou a importância dos comerciantes procurarem o Sindicato para saber se têm impostos a restituir. Ele disse ainda que o Sindhobar vai continuar buscando melhores condições para todo o setor. “Nós do Sindhobar estamos sempre buscando condições que possam trazer benefícios para os empresários do nosso segmento. Entrem no site e façam a adesão que, com certeza, a grande maioria dos empresários do setor terão dinheiro para receber da Receita. Aproveitem essa oportunidade para trazer um pouco de recursos para o seu estabelecimento. Essa parceria, com certeza, vai levar mais dinheiro para o bolso do empresário”, afirmou Jael.

Sobre a CloudGed

A CloudGed é uma empresa de tecnologia voltada para a recuperação de valores de crédito de ações tributárias. Toda ação tributária precisa ter um planejamento de valores para que o empresário possa comprovar os valores que tem a restituir.

A Receita Federal, através da Lei Complementar 147/2014, garante ao contribuinte – a partir da comprovação que ele pagou um imposto que não era devido – o direito a ser restituído. “Esse é o nosso trabalho, fazer essa comprovação e a busca dos valores, através do software que nós desenvolvemos”, explicou Lea Guerra.

Venha fazer parte do Sindhobar e aproveite todas as vantagens que nossos parceiros oferecem aos nossos associados. O Sindhobar está sempre buscando novos parceiros para que nossos sindicalizados possam ter opções de serviços e produtos diferenciados e com preços mais baixos que os oferecidos no mercado.

Clique na imagem e saiba se sua empresa tem impostos a recuperar!

Quando você associa sua empresa ao Sindhobar, está ajudando a fortalecer o nosso trabalho em prol de todo o setor. Venha fazer parte do Sindhobar, associe-se! Informações através do número 61 3224-0222 e do e-mail: gerencia@sindhobar.com.br

 

Exigências Do Procon-DF

Você sabia que para abrir um bar ou restaurante é necessário seguir uma série de regras estabelecidas pelas autoridades públicas. Para facilitar a vida de quem já tem um estabelecimento ou pretende empreender, o SINDHOBAR listou para você algumas das principais medidas e regras exigidas pelo PROCON-DF.

1. Destinar 5% das mesas nas praças de alimentação de shopping centers, restaurantes, lanchonetes, bares e outros estabelecimentos do setor gastronômico para uso preferencial de idosos, gestantes, pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida e portadores de doenças crônicas. O espaço mencionado no art. 1º deve ser identificado por aviso ou característica que o diferencie dos espaços destinados ao público em geral e pelo símbolo internacional de acesso. (Lei Nº 5066 DE 08/03/2013)

2. Os cardápios e panfletos de propaganda de bares, restaurantes, boates, lanchonetes e similares, localizados no Distrito Federal devem conter, em local visível e com destaque, a frase de advertência SE BEBER, NÃO DIRIJA. LEI Nº 4.633, DE 23 DE AGOSTO DE 2011

3. Fica instituída a obrigatoriedade de colocação de cardápios, com seus respectivos preços, na parte externa de restaurantes e similares, em local de fácil acesso e grande visibilidade para o consumidor, no âmbito do Distrito Federal. Lei nº 3.941 de 02/01/2007

4. É proibido cobrar pela perda de comandas e tíquetes em restaurantes, bares, lanchonetes, boates ou qualquer outro estabelecimento que utilize esta forma de controle do consumo. Lei Distrital nº 3.807/2006.

5. A lei exige que restaurantes e similares possuam cardápio em linguagem Braille. Lei Distrital nº 3.634/20015.

6. Dispõe sobre a obrigatoriedade de repartições públicas e estabelecimentos de comercialização de gêneros alimentícios, hotéis, bares, restaurantes, cafés, lanchonetes e congêneres fornecerem água potável gratuitamente a seus clientes, em local visível. Lei distrital nº 1954, de 08 de junho de 1998.

7. Os restaurantes, as lanchonetes e similares localizados no Distrito Federal, são obrigados a fixar, em local visível, advertência acerca da obesidade infantil com os dizeres: PREVINA A OBESIDADE INFANTIL COM ADOÇÃO DE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E PRÁTICA DE ATIVIDADES FÍSICAS. A advertência prevista no caput deve ser impressa nos cardápios dos estabelecimentos, preferencialmente na área destinada ao menu infantil ou, alternativamente, nas embalagens ou nos forros de bandeja utilizados pelo estabelecimento. LEI 5.501, DE 16-7-2015.

8. É obrigatório incluir o telefone 151 e o endereço do PROCON-DF nas notas fiscais e cupons fiscais. Lei Distrital nº 4029/2007.

9. É obrigatório afixar um cartaz com o Telefone 151 do PROCON-DF no interior dos estabelecimentos. Lei Distrital nº 1.418/97.

10. O estabelecimento deve informar as formas de pagamento, incluindo detalhes sobre
cheques. Somente é possível recusar cheques como forma de pagamento se houver informação clara e visível para o consumidor.

11. É obrigatório manter, em local visível e de fácil acesso ao público, 1 (um) exemplar do Código de Defesa do Consumidor (CDC). Lei Federal nº 12.291/2010.

12. É obrigatório informar tributos no cupom fiscal.

13. É proibida a comercialização de produtos vencidos e impróprios para o consumo. Art. 6°, 18, § 6º, I, II e III, e Art. 39. VIII da Lei Federal nº 8.078/1990 (Código de Defesa do Consumidor).

Para mais informações:

(61) 3224-0222

atendimento@sindhobar.com.br

Setor de Diversões Sul, Ed Boulevard Center, Bloco A, 1º andar, salas 117 a 124, Assa Sul, Brasília-DF.

Você conhece o Centro Médico Check Up? Saiba que ele é um dos parceiros do SINDHOBAR

Nossos associados terão descontos especiais para pacotes de elaboração de laudos como Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO); Programa de Gerenciamento de Riscos (GRO/PGR); Laudo Técnico de Condições Ambientais do Trabalho (LTCAT) e em treinamento com emissão de certificado para empregado designado para compor a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA).

Também são oferecidos pacotes de serviços médicos de saúde ocupacional como Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) – Admissional; Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) – Demissional; Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) – Periódico; Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) – Mudança de Função; Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) – Retorno ao Trabalho, além de consultas para a homologação de atestado médico.

O Centro Médico Check Up também realiza o envio mensal da documentação em formato xml para a plataforma e-social de S-2210 – Comunicação de Acidente de Trabalho; S-2220 – Monitoramento da Saúde do Trabalhador; S-2240 – Condições Ambientais do Trabalho – Agentes Nocivos.

Para obter os benefícios com descontos é necessário apresentar declaração de associado emitida pelo SINDHOBAR, que deverá ser solicitada através do e-mail: gerencia@sindhobar.com.br ou do Whatsapp: (61) 3224-0222

Centro Médico de Check Up LTDA
Tel: 61 3321-1197 / e-mail: comercial@checkupdf.com.br

Seja um associado do SINDHOBAR e fortaleça o setor. Juntos somos mais fortes!

Encontro Retomada do Turismo

Convidamos todas e todos a participarem da Retomada do Turismo. A ideia é alavancar o turismo com foco na nossa gastronomia e considerando os 60 anos de Brasília.
Os pratos ofertados deverão se referir a 60 como preço, desconto, combo, promoção etc. Não terá nenhum custo para o empresário e será uma ótima oportunidade de venda e de divulgação do seu estabelecimento.
Façam seu acesso no link acima. Assistam o bate papo e participem.
O Sindhobar e a Abrasel apoiam o evento e contam com a sua participação.

façam seu acesso no link:
https://us02web.zoom.us/j/83944517212?pwd=OUVKczlhNWVpWkFhTkJqbGpBbGlQdz09

Com o apoio da Fecomércio DF, recebemos doação do SescDF e Senac DF, de 5000 máscaras a serem distribuídas aos colaboradores das empresas associadas ao Sindhobar.

Com o apoio da Fecomércio DF, recebemos doação do SescDF e Senac DF, de 5000 máscaras a serem distribuídas aos colaboradores das empresas associadas ao Sindhobar. Vocês empresários e empresárias, venham pessoalmente tomar um café com pão de queijo quentinho, bater um papo com o presidente Jael e conhecer a sede do seu sindicato. E depois levam as máscaras para os seus colaboradores. Estaremos esperando todos vocês de segunda a sexta-feira das 14h30 às 17h30. Obs. As máscaras só serão entregues aos próprios empresários e empresárias. Sejam todos muito bem-vindos.

Live Solidária do GuiaBHR Banda: Grupo De Risco

Ação solidária socorre velha guarda da música


Em função da pandemia provocada pelo novo coronavírus, que atingiu diversas categorias profissionais, nossos artistas estão sem trabalho há mais de quatro meses. Mas para tudo, dá-se um jeito.


Um exemplo é a iniciativa do Guia BHR que decidiu contribuir para amenizar o momento difícil pelo qual estão passando: organizou um canal, via live solidária e patrocinada, para arrecadar contribuições.

Os recursos serão 100% revertidas ao Grupo de Risco, banda brasiliense tradicional que por décadas animou os frequentadores do Bier Fass, mas que agora enfrenta graves dificuldades.

A produção foi integralmente paga por colaboradores. Qualquer contribuição será de grande importância. Anote: dia 23 de julho, às 20h, no YouTube. No post, que muita gente está compartilhando, estão o QR Code e a conta bancária. Notibras é solidário e contribui com a divulgação da iniciativa.

Receita Federal regulamenta Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte

A Receita Federal iniciará envio de comunicado às Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP), com a informação do valor da receita bruta, com base nas declarações desses contribuintes ao fisco, para viabilizar a análise à linha de crédito do Pronampe, junto às instituições financeiras.

Nesta primeira etapa, receberão o comunicado, a partir de 9 de junho, via Domicílio Tributário Eletrônico do Simples Nacional (DTE-SN) as ME e EPP optantes pelo Simples Nacional.

Numa segunda etapa, que terá início, a partir do dia 11 de junho, o comunicado será enviado via Caixa postal localizada no e-CAC às ME e EPP não incluídas no Simples Nacional.

tabela.JPG.pronampe.JPG

Terão direito ao programa as empresas com data de abertura até 31/dezembro/2019. Somente receberão os comunicados as ME e as EPP que declararam, respectivamente, suas receitas nas respectivas declarações da tabela acima (Origem das informações enviadas pela RFB).

Caso exista divergência na informação da receita bruta ou não tenha ocorrido a entrega da respectiva declaração, a retificação ou inclusão da informação de receita bruta deverá ser realizada por meio da respectiva declaração.

O detalhamento da medida está na Portaria RFB nº 978 de 8 de junho de 2020, publicada no Diário Oficial da União de hoje (09/06).

O Pronampe, que poderá ser acessado por um total de aproximadamente 4,58 milhões de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (cerca de 3.8 milhões do Simples e cerca de 78o mil de fora do Simples), prevê como regra geral, que a linha de crédito corresponderá a no máximo 30% (trinta por cento) da receita bruta anual, calculada com base no exercício de 2019.

No caso das empresas que tenham menos de 1 (um) ano de atividade, a linha de crédito concedida corresponderá ao maior valor apurado, desde o início das suas atividades, entre:

· 50% (cinquenta por cento) do seu capital social; ou
· 30% (trinta por cento) da média de seu faturamento mensal.

Os recursos recebidos no âmbito do Pronampe servirão ao financiamento da atividade empresarial nas suas diversas dimensões e poderão ser utilizados para investimentos e para capital de giro, vedada a sua destinação para distribuição de lucros e dividendos entre os sócios.

A medida não será aplicada às Microempresas, Empresas de Pequeno Porte que iniciaram as suas atividades em 2020, conforme estabeleceu a Lei nº 13.999, de 18 de maio de 2020, que instituiu o programa.

A Receita Federal está trabalhando para facilitar a adesão das Micro e Pequenas Empresas ao Pronampe, tornando mais fácil para as empresas interessadas comprovarem a sua receita declarada, entretanto, a concessão depende da instituição financeira participante do programa.

Fecomércio e Sindhobar lançam campanha para evitar mais prejuízos no segmento de bares e restaurantes do DF

O somatório de prejuízos do segmento de bares, hotéis e restaurantes da capital do País é alarmante: são 10 mil empregos perdidos e 400 empresas falidas. Empreendimentos reconhecidos pelo público brasiliense. Desde o fechamento do comércio, no mês de março, o setor produtivo vem procurando amenizar os efeitos da crise. Nesta terça-feira (9), a Fecomércio-DF e o Sindhobar lançam o movimento Portas Abertas já, Retomada Segura — Mais uma campanha para tentar diminuir o número de demissões e falências. O presidente da Fecomércio, Francisco Maia, diz que as entidades prepararam um protocolo de segurança, visando a saúde dos funcionários e do cliente. O importante, segundo ele, é que o empresário tenha uma perspectiva para retomar o seu negócio.

“Os bares e restaurantes são os que mais sofrem com a paralisação do comércio. Impossibilitados de abrir as portas, a maioria se vira como pode: fazendo delivery, vendas na internet ou take out. O importante agora é ter um parâmetro, para evitar mais prejuízos. Por isso, estamos lançando campanhas e trabalhando com protocolo de reabertura, para que tudo ocorra seguindo normas de saúde, com o uso de álcool em gel, máscaras e respeitando o distanciamento e o número de clientes nos estabelecimentos”, enfatiza o presidente da Fecomércio-DF, Francisco Maia.

O presidente do Sindhobar, Jael Antonio da Silva, informa que está sendo marcada uma reunião com o governador Ibaneis Rocha (MDB). Segundo ele, o objetivo da campanha é o de tentar criar uma sensibilidade, para que o segmento volte com segurança, o mais rápido possível. “Vamos conversar com o governador semana que vem, segunda-feira. Pedir para que se estabeleça, ao menos, uma data, para os empresários fazerem planejamentos, comprar estoque e avisar os colaboradores”, diz. “O empresário está desesperado, se não houver um norte, vamos ter mais 20 mil desempregados nos próximos dias. Sem renda o empreendedor não consegue cumprir com suas obrigações”, ressalta.

Bares e restaurantes alegam que atingiram limite financeiro e podem fechar

O Velvet Pub é mais uma casa da noite brasiliense que fecha as portas(foto: @romulojuracy/CB/D.A Press)

Perto de completar 80 dias com as portas fechadas, muitos donos de bares e restaurantes do Distrito Federal estão perto do limite financeiro e correm o risco de encerrar as atividades. Representantes do setor vêm tentando marcar reunião com o governador Ibaneis Rocha (MDB) para definir uma data de reabertura. Apesar do esforço de entidades do setor, como a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e o Sindicato Patronal de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar), até o momento não houve movimento do GDF.

 
Entre os mais de 360 anúncios de falência, a maioria é de pequenos negócios que não sobreviveram ao período. Para não fazer parte desta estatística, os empresários Lucas Rodrigues e Matheus Rodrigues, da Hamburgueria dos Anões, dispensaram funcionários e colocaram a mão na massa. “Para a gente, que é pequeno, é mais complicado. Poucas pessoas conhecem, tivemos que renegociar muitas coisas, como aluguel. Hoje, o nosso foco é o delivery”, afirma.
 
A empresa dos amigos completou um ano ontem, e, mesmo com as dificuldades, a dupla não pensa em desistir do negócio. “Estamos pensando em aderir ao programa de crédito do BRB e na esperança de um decreto melhor do governo federal, com juros menores”, explica Lucas.
O tradicional Beirute também mudou as estratégias. “A gente trabalhava com delivery, mas era algo complementar, agora é o nosso foco principal. Além disso, criamos o drive, um serviço de atendimento rápido na frente das nossas lojas, respeitando, é claro, todos os protocolos de contenção à covid-19”, detalha Francisco Emílio, proprietário do estabelecimento.
 
Apesar das ações de venda, ele admite que foi preciso fazer demissões “A queda no nosso rendimento foi de 70%. Agora, estamos no limite. Demitimos, nas duas casas que temos, uma parte da nossa equipe, uma outra a gente está com contrato suspenso que acaba agora, e outra parte demos férias coletivas. Não queremos demitir nosso pessoal, mas vamos ver como será”.
 
Para o presidente do Sindohbar, Jael Antônio, não há outra solução, além da definição da data, para evitar novas demissões. “Não tem como prorrogar a medida provisória que acaba essa semana para a suspensão dos contratos por mais 60 dias. Ela está parada no Senado e não sabemos quanto tempo vai levar para ser analisada. Enquanto isso, os funcionários vão voltar para os estabelecimentos e o patrão vai fazer o quê? Sem renda para manter os contratos? Vai demitir”, alerta.
 
Porta fechada 
 
Durante 10 anos, o Velvet Pub, na 102 Norte, abriu espaço para o universo das músicas alternativas e eletrônicas em um ambiente que prezava pela diversidade cultural do Distrito Federal. É desse jeito que boa parte dos frequentadores e artistas que passaram pela casa noturna se lembrarão do espaço que fecha as portas por conta da crise financeira durante a pandemia do novo coronavírus.
 
“Tínhamos, lá, uma das únicas noites em Brasília com a bandeira de resistência LGBTQIA+. Mas, recebíamos, também, um público que não era desta comunidade. Por isso, o Velvet era tão plural. Sempre prezamos pelo respeito a todos”, relembra o Dj residente Tonny Carvalho, que trabalhou no local por nove anos.
 
O anúncio do encerramento das atividades foi divulgado pelas redes sociais. A decisão ocorreu pela falta de recursos. “Tentamos de todas as formas manter as portas abertas, mas, infelizmente, a pandemia e a ineficiência do governo brasileiro para oferecer suporte às pequenas e microempresas nos atingiu de uma maneira que nos fez tomar essa difícil decisão”, informa nota publicada na internet. Por enquanto, a equipe do Velvet não quis se pronunciar de outro modo.
 
Também Dj residente da casa noturna, Dj Maraskin atuou no pub desde o início das atividades. Foram mais de 400 eventos à frente das picapes, comandando noites agitadas com sets de pop rock. “É com muita tristeza que recebo essa notícia.  É lamentável não poder voltar”, afirma.
 
*Estagiária sob supervisão de José Carlos Vieira

ABRASEL-DF tem novo comando

Beto Pinheiro (centro), sócio proprietário do restaurante Coco Bambu e primeiro vice-presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília – SINDHOBAR, foi eleito presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes – Abrasel-DF. A entidade, que é uma organização de cunho associativo empresarial, cuja missão é representar e desenvolver o setor de alimentação fora do lar (AFL), facilitando o empreender e melhorando a qualidade de vida no país, tendo à frente agora, um representante do sindicato, tem tudo para avançar.

Uma vez que os projetos e objetivos são muito mais convergentes. Beto Pinheiro é reconhecido pelo excelente profissional e sua grande capacidade política e de conciliação. Com sua eleição, a expectativa é de que o setor de bares, restaurantes e similares só tem a ganhar.

Sindhobar esclarece dúvidas de empresários sobre tributação da gorjeta

Mais de 60 empresários participaram, na tarde desta quarta-feira (18), na sede da Fecomércio-DF, de um encontro sobre os riscos e vantagens da gorjeta e a sua desoneração para efeito tributário. O encontro foi realizado pelo Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar-DF). Houve uma apresentação para os associados sobre pacotes exclusivos do Banco de Brasília (BRB), além da exposição dos serviços oferecidos pela assessoria sindical, tributária e jurídica da Fecomércio.

Segundo o presidente do Sindhobar-DF, Jael Antonio da Silva, o setor de alimentação fora de casa e hotéis passa por uma fase difícil. “Nosso segmento é importante para a cidade, seja pelo fato de gerar empregabilidade para a população ou pela receita tributária que gera para o governo”, comentou. “E temos muita demanda dos empresários para esclarecer mais a questão tributária em cima da gorjeta”, disse.

Jael ressaltou na reunião o fato do sindicato estar se filiando à Federação, pois antes o Sindhobar era associado. “Estamos nos filiando a Fecomércio para ficarmos mais fortes”, apontou. “Sendo filiados, temos uma atuação maior”, declarou o presidente. Ainda de acordo com ele, o setor de bares, restaurantes e hotéis sofre muito por causa da legislação. “Sempre tem alguma lei que afeta o setor negativamente e é necessário que o sindicato seja forte e unido para combater os excessos”, concluiu.

Jael comentou também que o sindicato entrou com uma ação judicial para debater a não incidência da tributação federal sobre gorjetas. “Aqui no DF, temos uma normativa que garante que gorjetas até 10% do valor da conta estão isentas de pagar ICMS.” O vice-presidente do sindicato e sócio proprietário do Coco Bambu, Beto Pinheiro, fez a apresentação final do encontro e esclareceu algumas dúvidas dos empresários em relação a gorjeta. “No meu estabelecimento, por exemplo, todo final de almoço e jantar eu entrego o valor das gorjetas ao representante dos garçons para que haja a divisão da gorjeta entre eles”, explicou. Segundo Pinheiro, o acordado na Convenção Coletiva se sobrepõe ao legislado.

Fonte: ACM/Fecomércio

Leis que aumentam os custos e não tem utilidade prática: servem pra quê?

Longe de sermos contra os direitos do consumidor, vez que apoiamos a Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990, que instituiu o Código de Defesa do Consumidor, que já assegura proteção aos direitos do consumidor, bem como disciplina as relações e as responsabilidades entre o fornecedor (fabricante de produtos ou o prestador de serviços) com o consumidor final, estabelecendo padrões de conduta, prazos, penalidades e outras modernidades. Mas, há iniciativas, na grande maioria das, meramente eleitoreiras, que acabam unicamente burocratizando o funcionamento, e onerando desmedidamente, os custos operacionais dos restaurantes, bares, hotéis e similares no Distrito Federal. O Correio Braziliense, trouxe, oportunamente, na sua edição do dia 07 deste mês, uma reportagem intitulada “Distritais focam os direitos do consumidor”, no qual relata, pelo menos, 27 projetos apresentados pelos deputados versando sobre diversas novas obrigações de estabelecimentos, que claramente denotam as práticas que relatamos acima. Como por exemplo a PL nº 613/2019 que delimita horários para check-in e check-out em Hotéis e Pousadas, com ônus pesadíssimos em caso de descumprimento, PL esse, sem as devidas considerações dos empresários e entidades representativas desses segmentos patronais.
Outros exemplos: PL nº 583/2019 que dispõe sobre a obrigatoriedade de informar na entrada dos estabelecimentos, as formas de pagamento aceitas(nos cardápios e displays das ‘casas’, isso já é amplamente divulgado); PL nº 528/2019 que obriga bares, restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos de ensino, recreação e de lazer, a disponibilizar dispositivos homologados pela Anvisa para socorro nos casos de asfixia e sufocamento alimentares, entre outros(não seria o caso de solicitar treinamento do pessoal de atendimento ?).
O Boletim do Guia ouviu o posicionamento do presidente do Sindhobar-DF (Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília), Jael Antônio da Silva (foto), acerca desses excessos de responsabilidades que os deputados estão pretendendo conferir aos empresários. “A maioria desses projetos são sem fundamento algum, e provam, mais uma vez, a tentativa do Estado, seja e Legislativo ou o Executivo, de interferir nos empreendimento empresariais. O Estado quer assim, delegar ao setor privado, uma responsabilidade que é dele. Por exemplo, no caso da PL nº 528, cabe ao Estado fazer um trabalho de conscientização a respeito de engasgamento e não querer jogar mais esse custo em nosso ‘colo’, penalizando o empresário. Outro exemplo é querer obrigar o estabelecimento a disponibilizar segurança especializada, segurança pública é responsabilidade do próprio Estado… Enfim, além de serem projetos inócuos, configuram-se projetos inconstitucionais, pois não compete à Câmara Legislativa, criar leis sobre questões que estão ligadas à área Federal. A maioria dessas propostas são ineficientes e não agregam nada ao consumidor, além de serem repetitivas. Várias dessas ações já são praticadas pelos empresários há muito tempo”.
O presidente do Sindhobar destaca ainda que, se a Câmara Legislativa estivesse preocupada em criar novos incentivos para a retomada da empregabilidade, como por exemplo, a diminuição da carga tributária, o segmento iria aplaudir todos os projetos, mas, segundo Jael, o setor não é consultado sobre suas demandas, nem para criar projetos que atendam, de fato, ao interesse do empresariado. “Os Projetos de Lei em questão são todos voltados para criar gastos ou penalizar o empresário, como pode um negócio desses? ”, questiona Jael.
Com a palavra, nosso Governador, para acionar a “sensibilidade de sua fiel bancada”.

Fonte: https://www.guiabhr.com.br/blog/leis-que-aumentam-os-custos-e-nao-tem-utilidade-pratica-servem-pra-que/

Convocação especial para os empresários do DF

Os empresários do segmento de bares, hotéis, restaurantes e similares do Distrito Federal têm um compromisso importante no dia 18 de setembro de 2019: QUARTA DE NEGÓCIOS. Um encontro que irá tratar das principais demandas do setor.

O Banco de Brasília-BRB, o Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília – Sindhobar-DF e o Sistema Fecomércio-DF convidam para debater um dos temas mais recorrentes do setor: GORJETA. Serão discutidos os riscos e vantagens e a desoneração para efeito tributário da Gorjeta. A Quarta de Negócios será realizada no próximo dia 18 de setembro, das 15h às 17h, na sede da Fecomércio-DF, que fica no SCS Quadra 6 Bloco A, 1º Andar. Também serão abordados no encontro, pacote de serviços bancários e taxas de cartões de crédito diferenciados para o setor.

Você não pode ficar de fora!

Faça sua inscrição pelo link:

link para inscrição: https://www.fecomerciodf.com.br/encontro-sindhobar/

O BRB Convida: Parcerias e Vantagens

O BRB convida a todos os empresários do setor de hotéis, bares, restaurantes e similares de Brasília a participarem da reunião que será realizada no dia 04/07/2019, as 9h, no auditório do BRBCARD situado no SGAS 902 Bloco C – Edifício Athenas, com o intuito de tratar sobre parcerias e vantagens, como taxas especiais de cartão de crédito, utilização dos canais de comunicação do BRB como estratégia de marketing, entre outros benefícios. Além de propostas que poderão ser apresentadas pelos empresários presentes.
Dada a importância do evento, estarão presentes os presidentes do BRB e do BRBCARD.

Sua participação é de extrema importância!

Peço por gentileza que confirme a presença !

 

Presidente do Sindhobar, Jael Silva concede entrevista ao GuiaBHR

 

BOLETIM DO GUIA: Como a Reforma Trabalhista impactou o sindicato e o segmento representado pelo Sindhobar?

JAEL ANTÔNIO DA SILVA: Foi radical, no sentido que acabou com a obrigatoriedade da contribuição sindical, que era a principal receita para a sobrevivência dos sindicatos. Ao se tornar optativa, evidentemente, ninguém se sente compelido a realizar o pagamento. Nosso objetivo agora é sensibilizar o setor, mostrando ao empresariado que o sindicato tem benefícios a oferecer. Nosso setor que conta com cerca de 10 mil estabelecimentos no DF, no qual empregamos aproximadamente 100 mil pessoas e que, apesar da crise, foi o segmento que menos gerou desemprego. Inclusive, a respeito da Reforma Trabalhista, estamos organizando um seminário, que será realizado no próximo dia 05 de junho, para esclarecer dúvidas de nossos associados (Saiba mais).

BG: Qual é o número de associados ao sindicato atualmente?

JAEL: É baixíssimo. Para se ter ideia, de 10 mil empresas, temos um pouco mais de 200 associados. Precisamos atrair mais associados, pois nós é que defendemos permanentemente, os interesses de todos os empresários do setor de alimentação e hospedagem do DF. Prestamos um serviço que abrange toda a categoria. Parece-me que o empresário só percebe isso, quando ele é diretamente beneficiado. Sem a presença do sindicato, que atua em conquistas coletivas, muitas situações poderiam estar piores. Exemplo: na nossa Convenção Coletiva de Trabalho teve reajuste de 2%. A inflação foi de quase 5% no período. Conseguimos, portanto, com um processo de negociação, evitar um custo adicional ao empresário.

Também fizemos um trabalho de cerca de dois anos, juntamente com o Governo do Distrito Federal e outras entidades do setor produtivo, conseguimos retirar o cálculo Diferencial de Alíquota do ICMS (DiFAL). Todos os empresários que compravam produtos de fora do DF, estavam sujeitos ao pagamento de 5% de ICMS, mas foi extinto agora dia 30/04. Com essa economia, o empresário pode pagar mensalidade do sindicato. É uma contribuição baixa em comparação aos grandes lucros que o sindicato pode proporcionar a ele. Pretendemos ainda, ampliar os benefícios aos associados. Hoje, oferecemos consultoria jurídica gratuita, na área trabalhista, para o primeiro processo e com preços mais em conta para processos posteriores. O nosso parceiro, o escritório de Advocacia Maciel, atende a outras áreas jurídicas, parceria para a recuperação de créditos tributários, ICMS… O associado paga taxas inferiores às praticadas no mercado e a maioria dos empresários desconhece esses benefícios. Para empresas com grande número de empregados, o associado conta com a parceria para fazer recuperação de INSS pago indevidamente.

BG: Existem parcerias voltadas para a capacitação profissional de colaboradores?

JAEL: Temos parceria com o SENAC, que lança editais públicos, mas intensificamos a divulgação para incentivar os empresários a oferecerem aos seus empregados. Os que não forem gratuitos, temos condições por sermos filiados à FECOMÉRCIO, de proporcionar descontos significativos para a capacitação de profissionais do segmento. Também contamos com convênios com faculdades como IESB UNIP, nas quais conseguimos descontos de até 50% em cursos superiores e técnicos.

BG: Como está sendo tratada a questão da Lei do Silêncio?

JAEL: Iremos retomar essa temática no segundo semestre desse ano. Neste primeiro semestre, os deputados ainda estão se adaptando às funções legislativas. O sindicato tem um grupo formado que é atuante na Câmara Legislativa, participando efetivamente da formulação da Lei do Silêncio, que por sinal, se torna inexequível, penalizando a todos, com multas que pesam para o empresário, chegando a ser injusta, pois acaba penalizando apenas o dono de estabelecimentos, sendo que o barulho está em todos os lugares. O empresariado, mesmo que não tenha música em seu estabelecimento, precisa se unir. Ele pode não ter música, mas já atuamos em causas que defendiam outros interesses, como a Lei dos Puxadinhos da Asa Sul e Asa Norte. Enfim, temos de pensar na coletividade, que sempre todos são beneficiados com as leis que defendemos, assim como quando conseguimos baixar o ICMS da bebida, beneficiando a todos que trabalham com o produto.

BG: Em nosso veículo, chegamos a introduzir o tema do couvert artístico, mas encontramos resistência por parte dos envolvidos em se pronunciarem a respeito. Como o sindicato trata o assunto?

JAEL: Li a respeito no Boletim do Guia. Realmente, nosso empresariado tem esse defeito. Existe uma cultura de que se falar a respeito de situações que estejam lhe prejudicando diretamente, esse prejuízo seria maior e que sofrerá represálias por isso. Existe essa preocupação. Sempre estimulo a se manifestarem, a enfrentarem as situações, pois o sindicato está aí para defendê-los. O couvert artístico não é obrigatório. O nosso segmento tem uma série de exigências que precisam ser cumpridas e que, muitas vezes, sequer tem relação com o negócio do empresário. São vários documentos que precisam estar fixados na parede. Em agosto, inclusive, iniciaremos uma campanha em parceria com o GDF, a respeito da violência contra a mulher, para divulgação do Disque 180.

BG: Em relação à chapa vencida nas eleições para o sindicato, tem participado da nova gestão?

JAEL: Durante o período de eleições, os embates são naturais. Passadas às eleições, temos apenas um único objetivo: defender o nosso setor com unhas e dentes! Da minha parte, quero que todos estejam juntos no sindicato. Precisamos de todos. Estamos abertos e queremos recepcioná-los. Juntos somos mais efetivos, mais fortes e de braços dados, com certeza conseguiremos melhores resultados.

BG: Quais são as alternativas de novas receitas para o sindicato?

JAEL: Além de buscarmos novos associados, com essas parcerias que citei, o sindicato recebe um percentual dos serviços oferecidos. Outra fonte de receita é referente a um pedido do Sechosc (Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro, Bares, Restaurantes e Similares do Distrito Federal), no qual aprovamos ano passado, o Seguro de Vida aos empregados, do qual recebemos um percentual. O Seguro de Vida é obrigatório, foi votado em Assembleia Geral e deve ser feito pelo empresário, gera um custo que não chega a R$ 10 por vida, e ainda concede garantias ao empregador no caso de acidentes e de morte, com o auxílio funeral entre outras vantagens.

BG: E quem deseja abrir um negócio neste momento, qual é o conselho?

JAEL: Pense bem antes de abrir um novo negócio. Estamos em momento de crise. Temos vendido o jantar para pagar o almoço, questões tributárias e trabalhistas precisam ser alinhadas. Hoje, para abrir um novo negócio, o processo é rápido. Antes, para abrir um restaurante era considerado um negócio de risco alto, portanto, o processo burocrático era extenso. Mas no governo passado, conseguimos derrubar esse risco com um Decreto e, hoje, se tiver com a documentação estiver em dia, em três ou quatro dias tudo é resolvido.

BG: Como tem sido a relação do setor com o governo?

JAEL: Tem sido relativamente boa. Temos avançado em conquistas, sendo bem recepcionados, mas continuaremos a buscar mais. Inclusive temos uma grande preocupação, que precisamos combater o crescimento da ilegalidade e informalidade da venda de comida no meio da rua no DF. Precisamos de um novo compromisso do governo, no sentido de realizar uma força tarefa com todos os empresários do nosso setor e o sindicato, pois isso tem acarretado prejuízos enormes aos proprietários de restaurantes. Chegam pessoas que abrem o porta-malas do carro e vendem refeições de procedência duvidosa, sem pagar nenhum imposto, vendendo marmitas em frente aos restaurantes que pagam seus impostos em dia para poderem funcionar. Mas já estamos acionando a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, a Agefis, a Vigilância Sanitária e os outros órgãos responsáveis pelas concessões para atuarmos sobre essa questão.

BG: Qual o recado que o senhor tem para deixar aos empresários do setor que não são associados ao Sindhobar?

JAEL: Se não tivermos o empresário preocupado em manter o sindicato dele, fica difícil realizarmos um trabalho em defesa do segmento. Então peço a todos do nosso setor, do dono de botequim ao dono de restaurante classe A, do proprietário de pousada ao proprietário de hotel mais sofisticado, venham se associar ao nosso sindicato. Venham conhecer todos os benefícios oferecidos e, juntos poderemos muito mais! Precisamos de vocês atuantes em nosso sindicato.

 

Fonte: GuiaBHR

Posse do associado Vicente Estevanato na Câmara de Tributação e Finanças Públicas


Posse do associado Vicente Estevanato, como representante do Sindhobar, agora pela manhã, na Câmara de Tributação e Finanças Públicas, na sede da Fecomércio-DF.
Deputado Delmasso, vice presidente da CLDF, Chico Maia Presidente da Fecomércio-DF, Vicente Estevanato grupo Habib e Jael Silva Presidente do Sindhobar.

Copos e canudos serão proibidos no df em 18 meses

GDF sanciona nova lei para retirar itens de bares, restaurantes, comércio em geral e até no serviço público.
Multas serão de até R$ 5 mil

 

O Governo do Distrito Federal (GDF) estabeleceu o prazo de 18 meses para a proibição de copos e canudos de plástico nos estabelecimentos comerciais e públicos. Nesta segunda feira (06/05/2019), o governador Ibaneis Rocha (MDB) sancionou o Projeto de Lei nº 6.297, de 3 de maio de 2019, de autoria da deputada distrital Júlia Lucy (Novo). Ao final do prazo, o texto determina multa de R$ 1 mil a R$ 5 mil para quem descumprir a norma.

Segundo a nova lei, organizações públicas e privadas deverão substituir o plástico por produtos biodegradáveis. A regra vale também para microempreendedores individuais, autarquias e fundações. Durante o período de transição, copos e canudos tradicionais só deverão ser disponibilizados quando solicitados pelo consumidor.

Em 7 de fevereiro, o governo tentou extinguir de imediato os itens com a sanção do Projeto de Lei nº 976/2016, de autoria do ex-distrital Cristiano Araújo (PSD), mas a Câmara Legislativa não concordou com a proibição automática, pois os empresários não teriam tempo para se adequar. Os distritais derrubaram o veto do Executivo que autorizava a extinção instantânea. A norma sancionada agora cancela a anterior.

Agora vai
O prazo de 18 meses da nova lei foi bem recebido pelo setor produtivo. De acordo com o presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (Sindhobar-DF), Jael Antônio da Sila, o tempo é suficiente para empresários se preparem para a nova realidade.

 

“Nunca fomos contra a retirada do plástico, mas, na lei anterior, a multa era imediata, penalizava o empresário na hora. O empreendedor não tinha chance de buscar alternativas e o mercado não estava preparado para oferecer materiais biodegradáveis. Com esse prazo, a mudança é bem-vinda e traz segurança jurídica
Jael Antônio, presidente do Sindhobar

 

Segundo o presidente da Federação do Comércio Bens, Serviços e Turismo do DF (Fecomércio-DF), Francisco Maia, a mudança abre possibilidade de novas empresas se instalarem no DF para oferecer copos e canudos biodegradáveis. O produto é mais caro do que o plástico, mas, na leitura do setor,  conforme a procura aumentar, os preços tendem a cair.

Enquanto não há indústria local instalada, empresários precisam importar os itens ecologicamente corretos. Mesmo antes da lei, alguns estabelecimentos brasilienses retiraram o plástico. Hoje, o DF tem aproximadamente 10 mil bares e restaurantes.

 

Fonte: Metrópoles 

Nova diretoria do Sindhobar-DF é empossada

A Diretoria do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar-DF) para o quadriênio 2019-2022 foi empossada oficialmente nesta quinta-feira (4), em solenidade realizada na sede do sindicato. O presidente Jael Antônio da Silva foi reconduzido ao cargo. Ele destacou as próximas ações à frente da entidade. “Nosso principal objetivo é fortalecer o Sindhobar e buscar segurança jurídica para o nosso segmento”, explicou Jael. Um dos projetos dele é se aproximar das administrações das cidades do Distrito Federal criando diretorias regionais do sindicato junto à população, colaborando assim para um canal de comunicação mais ágil com os associados.

“Queremos atender melhor o empresário do nosso setor. Para isso, vamos buscar apoio nas cidades elegendo alguns porta-vozes que nos auxiliarão com as principais demandas de cada região”, disse o presidente. Outra novidade para os próximos meses será a realização de um festival gastronômico que ocorrerá em maio, em Águas Claras, e em junho, na cidade de Taguatinga. Leia mais: https://www.fecomerciodf.com.br/nova-diretoria-do-sindhobar-df-e-empossada-2/

 

Ações Para Justiça Fiscal e Desenvolvimento Econômico

Vamos todos ao Palácio do Buriti, para prestigiar a extinção da Difal, uma reivindicação do nosso setor, que finalmente será atendida.  Vamos comparecer, pois outras reivindicações estão em andamento e precisamos mostrar a força dos empresários de hotéis, restaurantes e bares.

 

Governador Ibaneis Rocha, assinando Decreto da extinção do Difal

Presidente Jael Silva, vice-presidente Beto Pinheiro e Paulo Muniz Presidente da Ademi e Codese, no Palácio do Buriti. Extinção da Difal

Sindhobar, Abrasel e Deputada Júlia Lucy por alternativa à lei dos canudinhos


Quinta-feira 21/2 Sindhobar e Abrasel estiveram com a Deputada Distrital Júlia Lucy examinando o PL que ela apresentou como alternativa à lei 6.266 dos canudinhos plásticos.
Se trata de um ótimo projeto para o nosso setor. Estamos discutindo e apresentando emendas.

Empresários contestam falta de prazo para cumprir lei que proíbe uso de copos e canudos descartáveis


O governador vetou prazo de 90 dias que estabelecimentos teriam para se adequar a mudanças da lei

Após o governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha sancionar a lei que proíbe o uso de copos de plásticos e canudos em estabelecimentos em todo o Distrito Federal, o Sindicato dos Hotéis, Bares e Restaurantes (Sindhobar) se pronunciou contra a decisão do emedebista. O motivo é que o governador vetou o prazo de 90 dias que os estabelecimentos teriam para se adequar à lei.

Já no Palácio do Buriti foi confiscado todo esse material descartável e trocado por material de vidro. Segundo o GDF, o governo tinha um gasto mensal de R$ 264 mil. Em entrevista exclusiva ao Estação Brasília, o presidente do Sindhobar, Jael Silva, ressaltou a importância de diminuir o uso de plásticos, mas não da forma que o governo sancionou a lei, sem prazo de adequação.

“A medida trará prejuízos para os empresários”,destacou..

 

O governado sancionou a lei e vetou o prazo de adequação para os estabelecimentos . Qual a avaliação que o senhor faz?
Recebemos essa notícia com muita surpresa. Nós não participamos da discussão dessa lei. Essa decisão acabou sendo muito danosa para os empresários do nosso setor. A maior surpresa foi o veto que o governador deu ao artigo terceiro, que daria um prazo de 90 dias para as adequações em nossos estabelecimentos. É impossível colocar em prática por dois aspectos; primeiro é a questão dos estoques existentes nos estabelecimentos. Praticamente não existe aqui em Brasília esses produtos, é preciso trazer de for. Já o segundo aspecto é da aplicabilidade da lei, que se refere a penalização, multa de 1000 a 5000 reais. Como que essa lei pode ser aplicada e usando qual critério para saber se eu vou pagar mil ou cinco mil? Nós estamos tentando contato com o governo no sentido de achar um caminho.

Como está sendo o diálogo com o GDF?
Participamos de uma reunião com a Agefis e formos informados de que é impossível colocar a lei e a penalidade em prática, porque não há orientação sobre os critérios para a aplicação dessa multa. Nós preparamos uma medida liminar e vamos dar entrada na justiça para tentar ver qual é a saída jurídica que dê tranquilidade e segurança para os nossos empresários de forma que a gente continue investindo e fazendo o nosso dever que é empreender.

O consumidor pode sentir esse impacto no bolso?
O que existe no mercado é que alguns produtos, que mesmo sendo considerados biodegradáveis, ainda contem partículas de plásticos na composição. Nós estamos com dificuldade de achar fornecedores aqui em Brasília. Na verdade no Brasil há essa dificuldade. A informação que eu tenho é que é preciso trazer esses produtos da China. Enquanto um canudo, hoje, custa 10 centavos, o biodegradável tem um custo próximo a R$ 1 cada canudo. Muito provável que este custo vai sobrar para o bolso do consumidor. A gente entende a importância da sustentabilidade e da preservação do meio ambiente, e somos altamente favoráveis a lei. Só lamentamos a tempestividade dela e a forma arbitrária que ela foi sancionada sem ouvir a nossa opinião.

O senhor acha que a atitude do governador foi precipitada?
Eu acho que o governador poderia ter vetado a lei como um todo e apresentado uma nova lei, ou até pedir para algum deputado de sua base fazer e apresentar um projeto factível. Essa lei acaba atingindo as grandes distribuidoras, padarias, e outros segmentos do comércio. Todo o delivery é feito com material descartável. Ele precisa voltar a ter uma ação incentivadora de lixo ou resíduos recicláveis. Ensinado a população a importância da reciclagem.

 

Fonte: Estação Brasília

Como melhorar a situação tributária da sua empresa?

Como melhorar a situação tributária da sua empresa?

O SINDHOBAR em parceria com a E-Fiscal, pioneira no ramo de auditoria tributária para pequenas empresas dos segmentos de bares e restaurantes, oferece aos seus associados soluções que proporcionam economia, reinvestimento, melhoria do fluxo de caixa e redução da carga tributária futura, podendo alavancar a lucratividade e competitividade da sua empresa.

Entre já em contato conosco e saiba como poderemos lhe ajudar!

E-mail: financeiro@sindhobar.com.br

Telefone: 61 3224 0222

Seguem abaixo alguns casos de sucesso:

ELEIÇÕES 2018: SINDHOBAR CONQUISTA A VENDA DE BEBIDAS ALCÓOLICAS NO DF

 

“Desta vez, os estabelecimentos funcionarão sem restrições, em horário normal, e com oferta de álcool.

Ao Jornal de Brasília, Jael Silva, presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar), explica que pleiteou junto à Cristiano Sampaio, titular da Segurança Pública do DF. “Mantive um contato pedindo que esse ano não baixassem a portaria que proibisse a venda. Mostrei que um dia a menos é um grande prejuízo ao nosso setor. Perde o empresário, o cliente e até o Estado, sem impostos”, afirma.

Para o presidente da entidade que representa toda a categoria, Brasília é “cidade politizada” e não deve enfrentar problemas em virtude de bebedeira. Pelo contrário, ele espera que os eleitores se comportem a ponto de manter a revogação nos próximos pleitos. A Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social (SSP-DF) confirmou que não haverá nenhuma determinação do governo estabelecendo a Lei Seca Eleitoral no dia do primeiro turno das Eleições.”

Fonte: Jornal de Brasília

Reunião Correio Braziliense


O presidente do Sindhobar Jael Silva em visita ao Correio Braziliense foi recebido pelo Diretor Comercial Paulo Cesar que trataram do Portal Brasília, iniciativa da Fecomercio, Sebrae, instituto Fecomercio e o Correio Braziliense, cuja implantação está a cargo do publicitário Dayvid Leão.
Na oportunidade o Sindhobar se colocou à disposição para contribuir na atualização do Portal no que se refere ao setor de hotéis, restaurantes, bares e similares de Brasília.
Em breve teremos um site de Brasília, que irá alavancar o turismo para a Capital do Brasil.

O lado rasteiro da política!

A ciência da política, quando exercida com dignidade, decência, e o intuito do bem comum, é uma das mais nobres representações que o ser humano pode  desempenhar e exercer por um período de sua vida. É gratificante, nobre, e quando bem exercida, dá uma das melhores sensações de ‘dever cumprido’ que se pode ter. Bem, o que se vê praticando hoje em Brasília, com a famigerada “Lei do Silêncio”, é de entristecer qualquer cidadão sério. Políticos inescrupulosos, com interesses unicamente pessoais, ambições desmedidas, “jogando” com a sociedade, fomentando a discórdia, não se importando com a harmonia que deve existir no relacionamento do cidadão, seja funcionário público, profissional liberal, ou outro trabalhador qualquer, com o empreendedor do segmento de alimentação, eventos e entretenimento. Afetando também o profissional de cultura, músicos, produtores e trabalhadores nas montagens ‘afins’. Importante lembrar que Brasília é um “celeiro” de astros de nível nacional e internacional. Renato Russo, Cássia Eller, Oswaldo Montenegro, Capital Inicial, Zélia Duncan, entre tantos outros nomes que se tornaram referência nacional. Essas ‘feras’ daqui se apresentavam e aconteceram nas “casas” hoje na berlinda. Normas de boa convivência, com respeito a privacidade e descanso do cidadão, devem existir e ser estimuladas, é assim em todo lugar. Nos referimos em nossa incompreensão, a política rasteira, eleitoreira, aproveitadora de ano eleitoral, estimulando a discórdia num processo de conflito entre sociedade e o MAIOR SEGMENTO EMPREGADOR DO DISTRITO FEDERAL, com mais de 150 mil famílias vivendo diretamente dele, e outro ‘tanto’ indiretamente, sendo um dos maiores contribuintes ‘proporcionais’ de impostos( de impossível sonegação-  cerca de 90% das receitas são oriundas de cartões de crédito e débito). Uma vaidade desmedida move uma parcela dos “pseudos líderes comunitários” que a todo momento procuram câmeras e microfones numa irresponsável necessidade de visibilidade, certamente com interesse eleitoral. No último dia 06, a Lei do Silêncio, que visa aumentar a intensidade de decibéis permitida aos estabelecimentos do DF seria votada, mas foi adiada por haver pontos em discussão sobre sua constitucionalidade. Representantes do segmento de bares e restaurantes ocuparam o plenário e presenciaram o adiamento da votação para o próximo dia 20 de março.

Senhores parlamentares com mandato, suas ‘biografias’ poderiam, no futuro, estar vinculadas ao interesse da sociedade, e não ao seu pessoal.

O cidadão leitor, deve fazer seu juízo a respeito do assunto e de seus representantes. O Boletim do Guia, estará sempre ao lado da sociedade, de quem produz riquezas e empregos, com respeito as regras e condutas do “bem viver”.

Leia mais sobre o adiantamento da votação da lei em Fala aí, Doutor! dessa semana.

Fonte: Guia BHR

SINDICONDOMÍNIO E SINDILOC ELEGEM DIRETORIAS PARA O PRÓXIMO QUADRIÊNIO

O Sindicato dos Condomínios Residenciais e Comerciais (Sindicondomínio-DF) e o Sindicato das Empresas Locadoras de Veículos Automotores (Sindiloc-DF) elegeram suas respectivas diretorias para o próximo quadriênio (2018 – 2022). As chapas foram únicas.

boletim presidentes 19-02-18No dia 16 de fevereiro, o Sindicondomínio reconduziu José Geraldo Dias Pimentel para o cargo de presidente da entidade. De acordo com ele, a principal meta a ser atingida para o próximo mandato é a de se aproximar, cada vez mais, dos representados. “A intenção é dar uma assessoria completa, desde o ensinamento de boas práticas de gestão de um síndico até trabalhar a qualidade de vida dos condôminos, fazendo com que exista uma maior integração nessa sociedade”, destacou Pimentel. O presidente reeleito também disse que trabalhará em parceria com o GDF para criar pautas positivas para o segmento. “Nós estamos buscando fazer com que todos os condomínios tenham em nós do sindicato uma referência administrativa competente”, disse.

Já o Sindicato das Empresas Locadoras de Veículos Automotores (Sindiloc-DF) elegeu um novo presidente para o próximo mandato: Júlio Torres Ribeiro Neto. A eleição ocorreu nesta segunda-feira (19), na sede da Fecomércio. Segundo ele, a expectativa é dar continuidade ao trabalho realizado pela gestão anterior, além de agregar mais serviços para os filiados.

“Para realizar os nossos objetivos acredito que o apoio da Fecomércio será fundamental. As locadoras estão se reinventando frente às novas tecnologias e o sindicato tem que estar atento a isso, dando suporte aos filiados”, explicou. Em relação à expectativa de vendas para o próximo ano, o presidente eleito ressaltou que deve ser positiva. “Acreditamos que o turismo do DF está crescendo e se fortalecendo, o que ajuda o nosso setor, outro ponto é a questão da retomada econômica do País que acaba animando as locadoras de veículos”, concluiu.

Diretoria Sindiloc-DF

Presidente: Júlio Torres Ribeiro Neto

Vice-presidente: Igor Eduardo Vaz Pacheco de Abreu

Diretor-administrativo: Emerson Resende de Castro

Diretor-financeiro: Ray Estevam Morato Axhcar

Conselho-Fiscal

Artur César Pinheiro Silva

José Máximo Machado de Oliveira

Clever Morato Axhcar

Delegados Representantes Titulares

Júlio Torres Ribeiro Neto

Igor Eduardo Vaz Pacheco de Abreu

Suplentes

Emerson Resende de Castro

Ray Estevam Morato Axhcar

 

Diretoria Sindicondomínio-DF

Presidente: José Geraldo Dias Pimentel

Vice-presidente: Antonio Carlos Saraiva de Paiva

Vice-presidente secretária-geral: Luiza Fernandes Bautista

Vice=presidente Financeiro: Carlos Henrique Dutra Cardoso

Vice-presidente Financeiro: Carlos Henrique Dutra Cardoso

Vice-presidente de condomínios residenciais: José Nazareno Farias Martins

Vice-presidente de condomínios comerciais: Creuza Lins Accioly Braga

Vice-presidente de comunicação, educação, meio ambiente e tecnologia: Paulo Roberto Melo

Vice-presidentes suplentes

Landejaine Rodrigues da Silva Maccari

Carmélia Maria Andrade Justiniano Ribeiro

Conselho Fiscal

Ivone Moreira de Freitas Oliveira

Maria das Dores Oliveira e Silva e Lindalvo do Nascimento

Suplentes

Dorivan Matias Teles

Wilson Parejas de Lima

Carlos Alberto do Nascimento

Delegados representates junto a Fecomércio-DF

José Geraldo Dias Pimentel

Luiza Fernandes Bautista

Suplentes

José Nazareno Farias Martins

Carmélia Maria Andrade Justiano Ríbeiro

Fonte: Fecomércio

Mutirão da Simplificação


O Sebrae do Distrito Federal em parceria com o Governo de Brasília, sediaram, em Sobradinho, a abertura oficial do Mutirão da Simplificação ocorrida ontem (31/01). O presidente do SINDHOBAR, Jael Silva, esteve reunido com autoridades do setor produtivo e a presença ilustre do governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, para prestigiarem ao evento. Onde o Presidente do SINDHOBAR aproveitou a oportunidade e acordou com o governador, a divulgação para o lançamento da ampliação e ativação das linhas de ônibus do projeto corujão.

E-book Tendências Para Alimentação 2017


É com prazer que compartilhamos com vocês mais uma publicação do Sebrae DF: “E-book ALIMENTAÇÃO: Tendências e Experiências”.
Nesse E-book serão apresentadas as principais tendências de alimentação e experiências que o Sebrae DF proporcionou a seus empresários em 2017. Dentre esses relatos está registrado nossa Missão Fispal quanto nossa Missão Mistura. Outro item interesse é sobre o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos – PGRS – no qual será mais uma necessidade legal junto ao segmento gastronômico.

O material está disponível no link: http://intranet.df.sebrae.com.br/downloads/Downloads/Download.aspx?id=r7UFGn423PH1V5%2fKnQ6O6w%3d%3d

Reunião com o Governador

Estiveram reunidos ontem 21/11 com o governador Rodrigo rollembergue varios empresários do setor produtivo para prestigiar a indicação do novo Presidente do Ibram.

O Governador Rodrigo Rollemberg e o Secretário de Desenvolvimento Valdir Oliveira convocaram, nessa terça feira, o Setor Produtivo para deliberar a indicação do novo presidente do IBRAM. Foram ouvidos os principais pleitos e demandas e com o objetivo de atender aos empresários de maneira cada vez mais eficaz o nome apresentado para o cargo foi o do Sr. Aldo Fernandes.

Estiveram presentes na reunião, dentre outros membros do setor o Presidente do Sindivarejista, Edson de Castro; Presidente do Sinduscon Luiz Carlos Botelho; Presidente da CDL José Carlos Guimarães; Presidente da ACDF, Cleber Pires; Presidente da ADEMI, Paulo Muniz; Presidente do Sindicombustíveis Daniel Costa e Presidente do Sindhobar Jael Silva.